Conteúdo

Conteúdos e Dicas


    5 motivos que levam as pessoas ao endividamento. Fique atento!

    tamanho do texto: A-/A+

    data/documents/storedDocuments/{BB04B56C-B692-4A6C-ADD9-373E44397F65}/{FCD1E611-91C1-4FFA-B7DB-7113B430E3FF}/esp_set2017_mat3.jpgPara sair de um endividamento, o primeiro passo é compreender o que levou a ele. Evidentemente, as razões que levam as pessoas a se endividarem são as mais diversas ou pode até ser um pouco de cada um dos motivos citados abaixo. Fato é que entender as razões do endividamento excessivo é o caminho para se livrar das dívidas.

    1) Falta de administração financeira.
    Esse é o motivo clássico. As pessoas não acompanham os seus orçamentos, não observam para onde o seu dinheiro está indo, não planejam e não acompanham as suas despesas passo a passo.
    Inevitavelmente, acabam gastando mais do que deveriam ou poderiam.

    2) Inexistência de uma reserva de emergência.
    A maioria das pessoas não possui um dinheiro reservado para situações imprevistas ou emergenciais. Por isso, qualquer fato novo - como um carro quebrado, um salário que atrasa, uma geladeira que não funciona, uma viagem de última hora – leva as pessoas a usarem o crédito (cartão de crédito, cheque especial). E assim, começa um círculo vicioso de difícil saída.

    3) Divórcio.
    Existem algumas questões óbvias nesse caso, como o pagamento de pensão, redução da renda familiar e divisão dos bens. E outras nem tão óbvias quando envolve filhos, desde a competição entre os pais com presentes, passeios, viagens, até a manutenção de duas casas. E isso sem contar o custo do processo de divórcio em si.

    4) Teimosia em manter estilo de vida perdido.
    No divórcio, na viuvez, na aposentadoria ou no novo emprego que não remunera tão bem quanto o anterior: as pessoas têm dificuldade de viver um padrão de vida abaixo do que estavam acostumadas. Então se endividam, agarrando-se ao passado que quase nunca voltará a se reproduzir.

    5) Herança de comportamento dos pais.
    Não se trata aqui de herdar dívidas dos pais, o que, aliás, pode acontecer. Assim como herdamos ativos, também podemos herdar passivos. Mas a questão é sobre hábitos de consumo transmitidos de uma geração a outra. Como não aprendemos sobre administração financeira pessoal nas escolas, o mais comum é que aprendamos sobre dinheiro com os nossos pais. E se eles eram esbanjadores, tendemos a espelhar esse comportamento. Acontece que o mundo de 20 ou 30 anos atrás não tinha os apelos de consumo de hoje e os fornecedores de crédito não eram tão agressivos quanto os atuais. Portanto, herdar um comportamento consumista e gastador pode facilmente levar uma pessoa a um emaranhado financeiro bem complicado.

    Imagem para contabilização de acessos a páginas
    pixel

    Escreva seu comentário

    « Voltar para a matéria
    Nenhum comentário enviado.
    Simuladores

    Simuladores

    Conheça os simuladores da Icatu Seguros e descubra o plano ideal para você.